Por que Donald Trump? Por George Lakoff

•08/04/2016 • Deixe um comentário
Anúncios

Os números de 2014

•31/12/2014 • Deixe um comentário

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 38.000 vezes em Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 14 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

2013 in review

•02/01/2014 • Deixe um comentário

The WordPress.com stats helper monkeys prepared a 2013 annual report for this blog.

Here’s an excerpt:

The concert hall at the Sydney Opera House holds 2,700 people. This blog was viewed about 40,000 times in 2013. If it were a concert at Sydney Opera House, it would take about 15 sold-out performances for that many people to see it.

Click here to see the complete report.

•26/06/2013 • Deixe um comentário

PEC 37 É DERRUBADA E ARQUIVADA! VITÓRIA DO POVO!

Protestos #MUDABRASIL palavras infelizes de Ronaldo e insubordinação de policial

•22/06/2013 • Deixe um comentário

Os números de 2011

•01/01/2012 • Deixe um comentário

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos da Ópera de Sydney tem uma capacidade de 2.700 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 26.000 vezes em 2011. Se fosse a sala de concertos, eram precisos 10 concertos egostados para sentar essas pessoas todas.

Clique aqui para ver o relatório completo

Amanda e a educação: a hora é agora!

•23/05/2011 • Deixe um comentário

Olá, colegas. Gostaria muito de utilizar este meio de comunicação para me pronunciar a respeito do que vem sendo tratado, com extrema coerência e seriedade, pela nossa colega Amanda Gurgel, assim como eu, licenciada em Português, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e colega de profissão.
É impressionante, e acho que isso é o que mais deve ter impressionado a Amanda, como um discurso de senso comum, pelo menos, aos que vivem no seio da Educação do Brasil, choca a nação. Parece brincadeira, mas a realidade do ensino é falha, desde as primeiras naus que “encalharam” em nossa costa há mais de 500 anos!
As palavras de muita coragem de Amanda foram um soco no estômago daqueles políticos que teimavam em fazer vista grossa para o caos do ensino básico – não digo só o público, visto que o privado está na mesma situação ou pior.
A inadequação com que as escolas “tocam” a rotina de ensino é algo absurdo. Vale salientar a falta de condições básicas de sala de aula, como bem lembrou Amanda, e a falta de condições extra sala também. Em sala, não se tem carteiras para os alunos, não se tem uma ventilação adequada, na maioria dos colégios, e fora dela, a situação é calamitosa: vale lembrar minimamente o caso de Realengo, sem falar de vários tantos de violência e tráfico de drogas nas portas das escolas. A questão é: a sociedade não sabia de nada disso? A polícia nunca ouviu falar de nada disso? Os governantes não sabem do que estou falando? Ora, isso é senso comum. É inadmissível querer colocar a culpa em uma categoria que luta ao máximo para poder “salvar” os nossos meninos, futuro do Brasil, contra uma máquina travada e sem perspectiva de mudança.
A falta de incentivo começa nos três números apresentados pela Amanda, como sendo o valor de seu contra-cheque. E mais: como alguém com ensino superior e especialização ganha menos que um office boy? Não desmerecendo ninguém, mas, onde fica a tal da qualificação de mão-de-obra?
Quando pensamos em ser educadores, não o fazemos visando o financeiro, isso, nem é preciso eu tentar justificar, né? Fazemos, sim, pensando em um país livre, que torça por todos, que espere um futuro melhor para a nação como um todo!
Não podemos mais ficar aqui, de braços cruzados achando que o ensino por si só vai mudar. É necessário seguirmos os primeiros passos dados pela Amanda. É necessário não só a classe docente se posicionar, mas toda a sociedade. Pais, empresários, políticos, todos, pois todo mundo tem filho nas escolas e todos nós sonhamos com um futuro melhor a eles. Por que não, então, pensarmos em um país mais justo, igualitário e que abrace os seus filhos por igual? Sigamos Amanda. Parabéns, mais uma vez!